INÍCIO BÍBLIA ONLINE SNT SEPTUAGINTA NOVO TESTAMENTO
AUXÍLIOS BÍBLICOS DICIONÁRIO BÍBLICO TERMOS DE USO
SEPTUAGINTA EM PORTUGUÊS - PDF - Atualizada em 06/07/2019

sábado, 23 de abril de 2016

Septuaginta - 4 Reis (2 Reis) - Capítulo 4

1 Uma das mulheres dos filhos dos profetas clamou a Eliseu, dizendo-lhe: Teu servo, meu marido, está morto, e tu sabes que o teu servo temia ao Senhor. Veio, depois disto, o credor para levar os meus dois filhos a fim de serem seus servos.
2 E Eliseu perguntou-lhe: Que hei de fazer por ti? Diga-me o que tens em casa. E ela respondeu: Tua serva não tem nada em casa, a não ser o óleo com o qual me unto.
3 E ele disse-lhe: Vai, pede emprestados vasos de todos os teus vizinhos, vasilhas vazias, não poucas.
4 Entrarás e fecharás a porta sobre ti e sobre os teus filhos, e irás derramar o azeite nestes vasos, separando o que estiver cheio.
5 Então, ela se apartou dele, fechando a porta sobre si e sobre seus filhos; e trouxeram os vasos para junto dela, que derramou azeite neles até que ficaram cheios.
6 E disse ela aos seus filhos: Trazei-me ainda uma vasilha. Mas eles responderam: Não há uma só vasilha mais. E o azeite permaneceu nas vasilhas.
7 Então, ela foi e o relatou ao homem de Deus. E Eliseu disse-lhe: Vai, e vende o azeite. Pagarás tuas dívidas, e tu e teus filhos viverão do azeite restante.
8 Certo dia, Eliseu passou por Suném. Havia lá uma senhora importante, que o constrangeu a comer pão com ela. E isto aconteceu tantas vezes que, quando ele ia para a cidade, voltava-se para comer lá .
9 E disse a mulher ao seu marido: Vê, eu sei que este é um santo homem de Deus, o qual vem continuamente a nós.
10 Façamos para ele uma câmara superior, um lugar pequeno, e ponhamos lá, para ele, uma cama, uma mesa, um banquinho e um candeeiro; e acontecerá, quando ele vier até nós, que se recolherá ali.
11 Certo dia, aconteceu de ele ir para lá, e voltou-se em direção à câmara superior, ficando ali.
12 E disse ele a Geazi, seu servo: Chama-me esta sunamita. E chamou-a, pondo-se ela diante dele.
13 E disse-lhe: Fala, agora, com ela, dizendo-lhe: Eis que tiveste todo este trabalho por nós. O que devo fazer por ti? Tens algum pedido a fazer ao rei, ou ao capitão do exército? Mas ela disse: Habito no meio do meu povo.
14 Então, ele disse a Geazi: O que faremos por ela? e Geazi, seu servo, respondeu-lhe: Na verdade, ela não tem um filho, e seu marido é velho.
15 Chamou-a, então, estando ela próxima da porta.
16 E Eliseu disse-lhe: Neste mesmo tempo, no próximo ano, nesta mesma estação, estarás viva e abraçarás um filho. E ela disse: Não, meu senhor; não mintas para a tua serva.
17 Todavia a mulher concebeu, dando à luz a um filho naquele tempo, na estação determinada, conforme dissera Eliseu para ela.
18 O menino crescia; e aconteceu, quando ele saiu para seu pai aos ceifeiros,
19 que disse-lhe: Minha cabeça, minha cabeça! E seu pai disse a um servo: leva-o para a sua mãe.
20 E ele levou-o à sua mãe. O menino ficou deitado sobre os joelhos dela até ao meio-dia, e morreu.
21 Então, ela levou-o para cima e deitou-o sobre a cama do homem de Deus, fechando a porta sobre ele; e saiu.
22 E chamou ela ao seu marido, dizendo-lhe: Envia-me, agora, um dos moços e uma das jumentas, e eu montarei e irei apressadamente para o homem de Deus, e voltarei.
23 Porém, disse-lhe ele: Por que estás indo até ele, hoje? Não é nem lua nova nem sábado. Ela, porém, respondeu: Está tudo bem.
24 Ela selou o jumento, e disse ao seu moço: Sejas rápido, vai em frente; não te refreies de andar rapidamente por minha causa, a menos que te diga. Vai, não pares, até chegar ao homem de Deus, no monte Carmelo.
25 Então, ela montou e veio para o homem de Deus, no monte; e aconteceu, quando Eliseu a viu chegar, que ele disse a Geazi, seu servo: Vejo que a sunamita se aproxima.
26 Agora, pois, corre ao seu encontro, e dize-lhe: Vai tudo bem contigo? Vai tudo bem com teu marido? Vai tudo bem com teu filho? Então, ela respondeu: Vai tudo bem.
27 Chegando ela a Eliseu na montanha, abraçou-se aos seus pés. E Geazi aproximou-se, empurrando-a para longe. Mas Eliseu disse-lhe: Deixa-a, porquanto a sua alma está mui triste dentro dela; e o Senhor escondeu isso de mim, não mo contando.
28 Então, ela disse: Pedi-te eu um filho do Senhor? Pois, não disse eu: Não mintas para mim?
29 E disse Eliseu para Geazi: Cinge os teus lombos, toma o meu cajado na tua mão, e vai. Se encontrares alguém pelo caminho não o saúdes, e se alguém te saudar tu não lhe responderás. E põe o meu cajado sobre o rosto do menino.
30 A mãe da criança, porém, disse: Vive o Senhor e vive a tua alma, que não te deixarei! Então, Eliseu se levantou, e foi junto com ela.
31 Mas Geazi passou-lhe à frente, colocando o seu cajado no rosto do menino. Todavia, não houve voz alguma, nem qualquer sinal de vida. Então, ele voltou para encontrá-lo e falou-lhe, dizendo: O menino não despertou.
32 Entrou Eliseu na casa, e eis que a criança, morta, estava colocada sobre a sua própria cama.
33 Eliseu entrou e fechou a porta sobre si, ficando somente os dois; e orou ao Senhor.
34 E, subindo na cama, deitou-se sobre o menino, pondo a sua boca sobre a boca dele, os seus olhos sobre os olhos dele e as suas mãos sobre as mãos dele; estendeu-se sobre ele, e a carne do menino aqueceu-se.
35 Ele levantou-se, e andava para cima e para baixo na casa; e subiu, inclinando-se sobre a criança sete vezes. Então, a criança abriu os olhos.
36 E Eliseu chamou a Geazi, dizendo-lhe: Chama essa sunamita. E chamou-a, vindo ela até onde ele se encontrava. E Eliseu disse-lhe: Toma o teu filho.
37 A mulher entrou e, caindo aos seus pés, fez-lhe reverência curvando-se para o chão. E saiu, levando o seu filho.
38 Depois disto, Eliseu voltou para Gilgal. Havia fome na terra, e os filhos dos profetas se assentaram diante dele. Disse Eliseu ao seu servo: Põe a panela grande no fogo e prepara um cozinhado de ervas para os filhos dos profetas.
39 E saiu ele ao campo para apanhar as ervas. Achando uma trepadeira no campo colheu dela colocíntidas selvagens, enchendo com elas a sua capa; e lançou-as no cozinhado de ervas, apesar de que eles não as conheciam.
40 E serviu-o para os homens comerem. Mas aconteceu, quando estavam comendo do cozinhado, que eles clamaram, dizendo: Há morte na panela, ó homem de Deus! E não puderam comer.
41 Mas disse ele: Toma farinha, e lança-a na panela. Então, Eliseu disse ao seu servo Geazi: Tira para as pessoas, para que comam. E não havia mais lá qualquer coisa prejudicial, naquela panela.
42 Veio, naquele tempo, um homem de Baal-Salisa, trazendo ao homem de Deus vinte pães de cevada e bolos de figos, das primícias. E ele disse: Dá-os ao povo, para que comam.
43 Mas o servo disse: Para que hei de pôr isto diante de cem homens? Porém, ele disse: Dá-os ao povo, para que comam; porque assim diz o Senhor: Comerão e ainda sobrará.
44 Então, comeram; e ainda sobrou, conforme a palavra do Senhor.

Nenhum comentário: