INÍCIO BÍBLIA ONLINE SNT SEPTUAGINTA NOVO TESTAMENTO
AUXÍLIOS BÍBLICOS DICIONÁRIO BÍBLICO TERMOS DE USO
SEPTUAGINTA EM PORTUGUÊS - PDF - Atualizada em 06/07/2019

quinta-feira, 19 de maio de 2016

Septuaginta - 4 Reis (2 Reis) - Capítulo 19

1 E aconteceu, quando o rei Ezequias ouviu isto, que ele rasgou as suas vestes e vestiu-se de saco, entrando na casa do Senhor.
2 E enviou Eliaquim, o mordomo, Sebna, o escrivão, e os anciãos dos sacerdotes, vestidos de sacos, ao profeta Isaías, filho de Amós.
3 E falaram-lhe: Assim diz Ezequias: Este dia é de angústia, repreensão e provocação; pois os filhos chegaram, nos trabalhos de parto, todavia a mãe não tem força.
4 Porventura o Senhor, teu Deus, terá ouvido as palavras de Rabsaqué, a quem o rei da Assíria, seu senhor, enviou para afrontar ao Deus vivo e injuriá-lo com as palavras que o Senhor, teu Deus, tem ouvido? Tu, porém, oferece a tua oração pelos que restaram.
5 E os servos do rei Ezequias vieram a Isaías.
6 E disse-lhes Isaías: Desta maneira falareis a vosso senhor: Assim diz o Senhor: Não temas as palavras que ouviste, com as quais os servos do rei da Assíria tem blasfemado.
7 Eis que envio um ruido de explosão sobre ele, e ouvirá um relato, voltando para a sua terra; e derrubá-lo-ei com a espada, na sua própria terra.
8 Então, Rabsaqué voltou, e achou o rei da Assíria pelejando contra Libna; porque soubera que havia partido de Laquis.
9 Pois ele ouvira falar a respeito de Tiraca, rei dos etíopes, dizendo: Eis que ele sai para lutar contigo. Então, ele voltou e enviou mensageiros a Ezequias, que disseram-lhe:
10 Não permitas que o teu Deus, em quem confias, te incentive, dizendo: Jerusalém não será entregue nas mãos do rei da Assíria.
11 Eis que tens ouvido tudo o que os reis da Assíria têm feito em todas as terras, para destruí-las totalmente. E serás liberto?
12 Porventura livraram-nas os deuses das nações a quem meus pais destruíram: Gozã, Harã e Rezefe, e os filhos de Éden, que estavam em Telassar?
13 Onde está o rei de Hemate, e o rei de Arpade? onde está o rei das cidades de Sefarvaim, de Hana e de Iva?
14 Então, Ezequias tomou a carta das mãos dos mensageiros, lendo-a; e ele foi até a casa do Senhor, estendendo-a perante o Senhor,
15 e disse: Ó Senhor, Deus de Israel, que habitas sobre os querubins. Tu és o único Deus sobre todos os reinos da terra; tu fizeste o céu e a terra.
16 Inclina teu ouvido, ó Senhor, e ouve; abre, Senhor, os teus olhos e vê. Ouve as palavras de Senaqueribe, as quais ele enviou para afrontar o Deus vivo.
17 Porque, na verdade, Senhor, os reis da Assíria têm destruído as nações
18 e lançado os seus deuses no fogo; porquanto não são deuses, mas obras das mãos de homens, madeira e pedra. Por isto os destruíram.
19 Agora, ó Senhor, nosso Deus, livra-nos da sua mão, e todos os reinos da terra saibam que só tu és o Senhor Deus.
20 Então, Isaías, filho de Amós, enviou mensageiros para Ezequias, dizendo: Assim diz o Senhor Deus dos exércitos, o Deus de Israel: Ouvi a tua oração a respeito de Senaqueribe, rei da Assíria.
21 E esta é a palavra que o Senhor falou contra ele: A virgem filha de Sião te menospreza e escarnece de ti; a filha de Jerusalém meneia a cabeça por detrás de ti.
22 A quem afrontaste e a quem tens insultado? Contra quem alçaste a tua voz, levantando os teus olhos para o alto? Contra o Santo de Israel!
23 Por meio de teus mensageiros afrontaste ao Senhor, dizendo: Subirei com a multidão de meus carros até a altura das montanhas, para os lados do Líbano; tenho cortado a altura de seus cedros e os seus melhores ciprestes, tenho vindo para o meio da floresta e do Carmelo;
24 refresquei-me bebendo águas estranhas, e sequei com a sola dos meus pés todos os rios dos lugares fortificados.
25 Eu trouxe à baila o assunto, e também o levei à uma conclusão; até mesmo à destruição de muitos prisioneiros de guerra e de cidades fortes.
26 Dos que habitavam nelas era fraca a mão, que tremia e se confundia. Tornaram-se como a erva do campo, como a erva verde, como a grama crescendo nas casas e que é pisada por aquele que anda sobre ela.
27 Mas eu conheço o teu assentar e o teu levantar, e o teu furor contra mim.
28 Porquanto te indignaste contra mim, e o teu furor subiu aos meus ouvidos; por causa disto, porei meus ganchos em tuas narinas e o meu freio em tua boca, e te farei voltar pelo caminho por onde vieste.
29 E este será um sinal para ti: comerás, neste ano, as coisas que crescem por si mesmas, e no segundo ano as coisas que daí brotarem. E que no terceiro ano haja semeadura e colheita, e plantação de vinhas. E comereis os frutos delas.
30 Ele aumentará o que sobrou da casa de Judá, e os demais, os que tiverem restado, deverão lançar suas raízes por baixo e produzir frutos por cima.
31 Porque de Jerusalém sairá o restante, e da montanha de Sião o que foge. O zelo do Senhor dos exércitos o fará.
32 Não é isto desta maneira? Assim diz o Senhor acerca do rei da Assíria: Ele não entrará nesta cidade, e não irá atirar nela flecha alguma; nem um só escudo virá de encontro à ela, nem se levantará contra ela um monte.
33 Pelo caminho por onde vier, por esse mesmo ele deverá retornar; todavia, não entrará nesta cidade. Pois assim diz o Senhor:
34 Defenderei esta cidade como um escudo para mim mesmo, e por amor do meu servo Davi.
35 E aconteceu que, à noite, o anjo do Senhor saiu, ferindo no arraial dos assírios a cento e oitenta e cinco mil deles. Levantaram-se cedo pela manhã, e eis que todos estes eram cadáveres.
36 Então, Senaqueribe, rei da Assíria, se retirou e, voltando, habitou em Nínive.
37 E sucedeu, enquanto ele adorava na casa de Nisroque, seu deus, que Adrameque e Sarezer, seus filhos, o feriram à espada e fugiram para a terra de Ararate; e Esar-Hadom, seu filho, reinou em seu lugar.

Nenhum comentário: